Aside

Pode um ser, por livre e espontânea vontade, parar de crescer mentalmente? Pode ele, em sua vasta habilidade, permitir que o seu eu jamais entenda o inexplicável? Pode um ser, sem nenhuma caridade, bloquear os próprios sentidos para que jamais sofra de suas calamidades? Não há como captar as falsas imagens e projetá-las em sonhos desleais. O corpo não sente as faltas da mente insensata. Que fazes em noites cálidas senão descobrir que a alma é flácida? As sensações obscuras contornam as cabeças conectadas, porém penetram em vazios solitários. Completamente louco, imensuravelmente frouxo, indeterminadamente fosco, altamente letal. Talvez seja um belo espírito que tenta ser amado sem amar a vida a ser vivida. Ele, sem compreender a profundidade dos fatos, se joga em tempestades noturnas de prazeres incalculáveis e extremamente nocivos. Só faz das horas meras bexigas que sem vida acabam por murchar.

Advertisements

One thought on “

  1. “Talvez seja um belo espírito que tenta ser amado sem amar a vida a ser vivida”, concordo, e ainda afasta as imensas possibilidades dessa vida!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s